Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11624/1503
Autor(es): Vargas, Sheila Cristina
Título: Agravos à saúde e a exposição a risco biológico no trabalho : um estudo com equipes de odontologia da 9ª Coordenadoria Regional de Saúde do Rio Grande do Sul.
Data do documento: 2017
Protocolo CEP: 1.824.534 - 18/11/2016
Resumo: Introdução: O ambiente de trabalho em Estratégias de Saúde da Família e Unidades Básicas de Saúde, onde os profissionais de saúde são responsáveis por promover saúde à população, conta com situações e riscos presentes no ambiente de trabalho nocivo à saúde deste trabalhador. Os cirurgiões dentistas (CD) e os auxiliares de saúde bucal (ASB) são expostos a riscos de saúde ocupacional que predispõem a uma infinidade de problemas de saúde. Objetivo geral: avaliar a prevalência de doenças infectocontagiosas ocupacionais e as formas de prevenção adotadas pelos CD e ASB. Resumo do artigo 1: O CD e ASB convivem com situações de risco e devem estar preparados para a prevenção de doenças e acidentes do trabalho. Avaliar a prevalência de doenças infectocontagiosas ocupacionais e as formas de prevenção adotadas pelos CD e ASB da 9ª Coordenadoria Regional de Saúde do Rio Grande do Sul. Estudo transversal, incluindo entrevista utilizando questionário estruturado contendo variáveis relativas aos fatores sociodemográficos e formas de prevenção de doenças infectocontagiosas. A análise dos resultados foi realizada em SPSS 20.0 utilizando estatísticas descritivas e univariadas. O uso de óculos de proteção e gorro foi maior nos ASB. Os CD relataram uso frequente de máscara, 45,5% fazem a troca de máscara a cada paciente. Todos os participantes relataram fazer uso de luvas e trocá-las a cada atendimento, 78,26% dos trabalhadores já realizaram algum atendimento a paciente com doenças infecciosas. Os CD são os profissionais com o maior número de acidentes com perfurocortante (59,1%). Os procedimentos da profilaxia pós-exposição é conhecido por 68,2% dos CD e 62,5% dos ASB. Após analise dos resultados dos testes HBSAg, anti-HBcAg, anti-HCV e anti-HIV, não identificamos resultados positivos. Em relação à imunização para o vírus da hepatite B, 10,52% dos ASB e 43,75% dos CD não estavam reagentes ao anti-HBS. Este estudo avaliou a prevalência de doenças infectocontagiosas na prática odontológica não sendo encontrado nenhum caso. As formas de prevenção são adotadas pelos profissionais da odontologia, porém alguns equipamentos de proteção não são utilizados por alguns profissionais, mesmo conhecendo os riscos que estarão expostos durante a prática laboral. Resumo do artigo 2: O cotidiano de trabalho odontológico conta com situações de risco, muitas vezes, decorrentes de hábitos e condições incorretas, o que pode favorecer o surgimento de doenças ocupacionais. Investigar estratégias adotadas pela equipe odontológica para a manutenção da saúde ocupacional, com ênfase nas normas de biossegurança. Trata-se de uma revisão integrativa, com artigos no período de 2012 a 2016, foram selecionados de acordo com os descritores: saúde ocupacional, biossegurança, exposição ocupacional. Os artigos foram acessados nas bases de dados Scielo, LILACS e Pubmed. Fizeram parte da revisão 11 artigos. A análise mostrou que a rotina do trabalho pode ocasionar danos à saúde do CD ou ASB, podendo levar a uma perda ou diminuição de sua capacidade laboral. Esses riscos podem ser minimizados com a utilização dos equipamentos individuais de proteção e os protocolos de biossegurança. A análise dos artigos mostrou que o ambiente de trabalho pode apresentar perigos à saúde laboral dos CD e ASB, favorecendo o aparecimento de doenças. Os estudos apontam que há uma adesão muito baixa por parte da equipe odontológica ao uso correto dos EPI, por este motivo a equipe deve estar bem preparada, através dos protocolos de biossegurança, prevenindo que doenças sejam transmitidas durante os procedimentos, protegendo a equipe e o paciente.
Nota: Inclui bibliografia.
Instituição: Universidade de Santa Cruz do Sul
Curso/Programa: Programa de Pós-Graduação em Promoção da Saúde
Tipo de obra: Dissertação de Mestrado
Assunto: Saúde bucal
Biossegurança
Controle de infecções
Saúde do trabalhador
Doenças profissionais
Pessoal de saúde
Orientador(es): Possuelo, Lia Gonçalves
Co-orientador(es): Krug, Suzane Beatriz Frantz
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Promoção da Saúde – Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Sheila Cristina Vargas.pdf2.68 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciado sob uma Licença Creative Commons Creative Commons