Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11624/2266
Autor(es): Cavalheiro, Gustavo Olivier
Título: Profilaxia pré exposição ao vírus HIV (PrEP) : conhecimento de profissionais de saúde.
Data do documento: 2018
Protocolo CEP: 893850 / 2018
Resumo: A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) representa um dos maiores problemas de saúde da atualidade em virtude de seu caráter pandêmico e gravidade. Com isso, novas estratégias de prevenção surgiram com o tempo, dentre elas, a Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP), que é a utilização do medicamento antirretroviral por indivíduos que não estão infectados pelo HIV, com o medicamento circulante no sangue, o vírus do HIV não consegue se estabelecer no organismo, impedindo a infecção. Esta profilaxia vem se destacando pela sua eficácia, com redução no risco de infecção que varia de 92% a 100%. Deste modo, este estudo tem como objetivo identificar e analisar o conhecimento de profissionais de saúde sobre a Profilaxia Pré-exposição ao vírus do HIV. Trata-se de uma pesquisa, exploratória, descritiva com uma abordagem qualitativa. A pesquisa foi realizada em duas ESF´s, sendo uma rural e uma na urbana, em duas UBS´s e no Centro Municipal de Atendimento a Sorologia (CEMAS) de um município da região central do Rio Grande do Sul, através de uma entrevista semiestruturada, com questões abertas que foram audiogravadas e transcritas para posterior análise, utilizando a análise temática de Minayo descrita em três etapas. Foram entrevistados 23 profissionais de Saúde com tempo de atuação no serviço superior a um ano. A análise de dados trouxe quatro categorias temáticas que responderam os objetivos deste estudo levando a perceber de modo geral, que os profissionais atuantes no serviço especializados, possuem conhecimento acerca da PrEP, e estão preparados tecnicamente para trabalhar com pacientes HIV/AIDS, em contra partida os profissionais atuantes na Rede Básica do município em questão, desconhecem esta nova profilaxia e não estão devidamente capacitados para lidar com esses pacientes, necessitando fortemente de capacitações nessa área. Acerca dos métodos preventivos citados pelos entrevistados, destaca-se o uso de preservativo, testagem rápida para a detecção de anticorpos anti-HIV e cuidado com material perfuro cortante.
Nota: Inclui bibliografia.
Instituição: Universidade de Santa Cruz do Sul
Curso/Programa: Curso de Enfermagem
Tipo de obra: Trabalho de Conclusão de Curso
Assunto: HIV
Síndrome de imunodeficiência adquirida
Síndrome de imunodeficiência adquirida - Prevenção
Orientador(es): Krug, Suzane Beatriz Frantz
Aparece nas coleções:Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Gustavo Olivier Cavalheiro.pdf978 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solicitar uma cópia


Este item está licenciado sob uma Licença Creative Commons Creative Commons