Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11624/3122
Autor(es): Machado, Maria Luiza Adoryan
Título: "São tentativas de tirar eles da situação de rua? : um estudo sobre os sentidos atribuídos às ações voltadas à pessoa rualizada no âmbito do SUAS.
Data do documento: 2020
Protocolo CEP: Parecer nº 4.191.840 de 04 de agosto de 2020.
Resumo: A realidade de pessoas em situação de rua não é um fenômeno recente e é um dos exemplos mais extremos e devastadores da pobreza e exclusão social no mundo. Estudiosas/os da área indicam que não se sabe ao certo desde quando existe tal realidade, em que pessoas passam a transformar logradouros em seu lar, sua fonte de sustento, seu espaço de trocas interpessoais, de autocuidado e de outros tantos usos. Desta forma, refletir sobre as vivências de pessoas em situação de rua é, também, (re)pensar sobre os (outros tantos) modos de ser e estar no mundo. Viver na condição de rualização, isto é, estar/viver/morar nas ruas, antes de tudo, é um dos resultados (muitas vezes, fatais) de desigualdades que permeiam as cidades. A pesquisa aqui proposta caracteriza-se como qualitativa e teve como objetivo principal conhecer quais são as ações/projetos/programas desenvolvidos pelas/os trabalhadoras/es que atuam no Sistema Único de Assistência Social (SUAS) em relação às demandas da população de rua na cidade de Santa Cruz do Sul-RS. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas, na modalidade online, através de uma ferramenta de reunião virtual gratuita com trabalhadoras/es que atuam diretamente com as demandas da população de rua na referida cidade. Para a análise de dados foi utilizada a proposta de Mary Jane Spink (1994, 2010, 2013) e colaboradoras/es a qual se fundamenta no campo da psicologia social, mais especificamente no construcionismo social, para evidenciar a produção de sentidos de trabalhadoras/es atuantes no SUAS. Como resultados temos a descrição das ações e projetos desenvolvidos por dois serviços públicos que compõem o SUAS nesta cidade e que atuam diretamente com pessoas em situação de rua. Além disso, foi possível identificar e analisar a produção de sentidos atribuídos tanto à realidade das pessoas que vivem na situação de rua quanto aos serviços atuantes frente a essas demandas. Observamos nas narrativas a falta de recursos humanos, recursos materiais, capacitação profissional e educação permanente para acrescentar no trabalho já desenvolvido e, além disso, para contribuir de outras tantas formas na atuação frente a uma população que continua sendo invisível em nosso município. Sem o intuito de produzir conclusões, o presente estudo considera que a atuação das/os trabalhadoras/es que contam com preparação, capacitação e educação permanente é primordial nas práticas voltadas às demandas da população de rua. Entretanto, constatamos a falta de tal incentivo e assinalamos que isso acaba sendo um fator gerador de práticas in/excludentes. Por fim, apontamos sobre as dificuldades encontradas pelas/os trabalhadoras/es entrevistadas/os em relação à complexidade e desafios frequentes no trabalho diário. Desta forma, tais questões remetem à necessidade da rede e dos serviços disponibilizarem recursos para fomentar aprendizagem, no formato de educação permanente, para suas/seus trabalhadoras/es, incentivando a busca por estudos e normativas que apresentem dados atualizados e estratégias efetivas, sensíveis e humanizadoras, frente à uma população que continua (sobre)vivendo nas margens.
Resumo em outro idioma: The reality of homeless people is not a recent phenomenon and is one of the most extreme and devastating examples of poverty and social exclusion in the world. Scholars in the area indicate that it is not known for sure when there is such a reality, in which people begin to transform places in their home, their source of sustenance, their space for interpersonal exchanges, self-care and many other uses. Thus, reflecting on the experiences of homeless people is also (re)thinking about the (other many) ways of being and living in the world. Living in the condition of homeless, that is, being/living/staying on the streets, first, is one of the (often fatal) results of inequalities that permeate cities. The research proposed here is characterized as qualitative and had as main objective to know what the actions/projects/programs are developed by the workers in the “Sistema Único de Assistência Social (SUAS)” (Unified System of Social Assistance) in relation to the demands of the homeless population in the city of Santa Cruz do Sul, south of Brazil. Semi-structured interviews were conducted, in the online modality, through a free virtual meeting tool with workers who work directly with the demands of the homeless population in this city. For data analysis, the proposal of Mary Jane Spink (1994, 2010, 2013) and collaborators was used, which is based on the field of social psychology, more specifically in social constructionism, to evidence the production of meanings of workers in SUAS. As results we have the description of the actions and projects developed by two public services that make up SUAS in this city and that work directly with people in street situation. In addition, it was possible to identify and analyze the production of meanings attributed both to the reality of people living in the street and to the services used in the face of these demands. We observed in the narratives the lack of human resources, material resources, professional training, and continuing education to add to the work already developed and, in addition, to contribute in many other ways in the action against a population that continues to be invisible in our city. Without the intention of producing conclusions, the present study considers that the actions of workers who rely on preparation, training and continuing education is paramount in practices focused on the demands of the homeless population. However, we note the lack of such incentive and point out that this ends up being a factor that generates in/excluding practices. Finally, we point out about the difficulties encountered by the workers interviewed in relation to the complexity and frequent challenges in daily work. Thus, these questions refer to the need for the network and services to provide resources to foster learning, in the format of permanent education, for their workers, encouraging the search for studies and regulations that present updated data and effective, sensitive, and humanizing strategies, in front of a population that continues surviving on the margins.
Nota: Inclui bibliografia.
Instituição: Universidade de Santa Cruz do Sul
Curso/Programa: Curso de Psicologia
Tipo de obra: Trabalho de Conclusão de Curso
Assunto: Sistema Único de Assistência Social (Brasil)
Pessoas desabrigadas
Pobreza urbana
Política pública
Pessoas desabrigadas - Santa Cruz do Sul (RS)
Assistência social
Psicologia social
Orientador(es): Lasta, Leticia Lorenzoni
Aparece nas coleções:Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Maria Luiza Adoryan Machado.pdf462.88 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciado sob uma Licença Creative Commons Creative Commons